Estilo

Seja Estilo
Economia e Finanças

O autoconhecimento ajuda a escolher o melhor investimento

Analise seus objetivos, tolerência a riscos e por quanto tempo deseja fazer aportes

(Imagem)

O primeiro passo ao se decidir por um tipo de investimento é olhar para dentro de si e analisar o grau de coragem, a propensão ao (des)equilíbrio, o nível de tolerância a riscos, seus medos, as paúras mesmo. Tem de ser um autoquestionário cujas respostas sejam as mais sinceras possíveis, como se estivesse em um processo terapêutico.

Basicamente, há três perfis clássicos de investidor: conservador, moderado e arrojado. Mas pode ser que você seja uma pitada de cada um e que isso varie de acordo com o momento da sua vida. Mas é bom tê-los em mente.

O conservador é aquele que tem verdadeiro horror ao risco – a perder dinheiro, seja o principal aplicado, sejam os juros. Opta sempre por investimentos que podem até render menos, mas não tiram o sono de ninguém em épocas de turbulência.

As aplicações normalmente recomendadas a este perfil são Tesouro DiretoCDB (Certificados de Depósito Bancário), LCI/LCA (Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio), fundos de renda fixa e fundos DI. Mas, nunca é demais repetir, sempre com o aconselhamento de seu gerente ou consultor de investimentos. Isso porque, só para dar um exemplo, se a tendência da taxa de juros for de alta, não é bom negócio investir em CDB prefixado.

O moderado topa alocar um pouquinho de seu dinheiro para viver perigosamente e, quem sabe, ter um rendimento maior. Mas bem pouco. Pode, eventualmente, se arriscar em fundos multimercados, debêntures, um pouco em fundos de ações, tudo que não tem rendimento predeterminado.

Por fim, o arrojado é o tubarão profissional. Adora ler tudo sobre o mercado e corre riscos sabendo que pode pôr tudo a perder. Mas também a eventualmente ganhar muito dinheiro. É o tipo de perfil que já tem a “vida ganha”, seja com imóveis ou um negócio próprio consolidado. Mas nem sempre este prescinde de aconselhamento, porque o Brasil, como se diz, não é para amadores.

Independentemente do perfil, no entanto, um ponto a se considerar é o tempo que o dinheiro vai ficar investido. Não é prudente arriscar em Bolsa de Valores se você vai precisar dos recursos em um ano, para uma viagem ou para comprar um carro novo.

Por isso, quase sempre a teoria de Markowitz faz sentido. Harry Markowitz concluiu seu doutorado em Economia pela Universidade de Chicago no ano de 1954. E formulou sua famosa teoria que não mais é do que diversificar a carteira de investimentos, de acordo com o tempo, os objetivos e os traços psicológicos do investidor.

Conheça seu perfil

A educadora financeira canadense Stephanie Holmes-Winton, autora do livro “$pent – Your Money Mindset is the Key to your Financial Freedom”, disse uma coisa fabulosa: “Uma estratégia financeira baseada em mudar quem somos, em vez de administrar nossas tendências naturais, tem grandes chances de falhar”. Por isso, deixe o BB cuidar bem de seus investimentos. O cliente Estilo tem à disposição uma equipe de gerentes especializada que te ajudará a encontrar o tipo de investimento ideal para as suas necessidades.

Dica BB: Contrate agora um plano de Previdência com taxa de carregamento zero, tanto para investir quanto para resgatar. A partir de R$100,00 por mês você fica mais perto de realizar seus projetos. Confira os diferentes planos e comece agora. O BB oferece ao Cliente Estilo consultoria exclusiva sobre o assunto.

CONFIRA(Imagem)

Você também pode
se interessar por

A tecnologia das Fintechs vai ao Open Banking
Economia e Finanças
A tecnologia das Fintechs vai ao Open Banking

Regulamentadas pelo Banco Central, as startups financeiras...

CONFIRA